23 de Março de 2016

foto 041.jpg

 

Alfredo Duarte Jr. canta Um Resto de Mouraria

Letra de Carlos Conde

Música de Martinho D´Assunção

 

 

 

 

UM RESTO DE MOURARIA

 

Autor da Letra: Carlos Conde

Autor da Música:       Martinho d'Assunção

Intérprete: Alfredo Duarte Júnior

 

Daquela viela antiga

De bairro mal afamado

Vinha um resto de cantiga

E um vago sabor a fado

 

E vi de longe, da esquina,

Uma imagem de Jesus,

Uma luz de lamparina

E uma sombra aos pés da cruz.

 

O fado era a saudade, era uma reza,

E a voz um precipício de tristeza.

Era a amargura a cantar,

Era a voz da nostalgia

A chorar

P’la Mouraria.

 

Banco de pinho a um lado,

De outro lado um canapé

E um Cristo crucificado

Iluminado p’la fé.

 

Meu olhar turvou de pranto,

Era tudo quanto via

Naquele velho recanto

De um resto de Mouraria.

Free Guestmap from Bravenet.com
publicado por Vítor Marceneiro às 00:00
CLIQUE NA FOTO PARA SE INSCREVER
Este blogue é propriedade da Associação Cultural de Fado " "O Patriarca do Fado", assim como a página na rede social Facebook, com o mesmo título genérico. a ACFPF, é uma associação sem fins lucrativos e registada na Conservatória do Registo Comercial R.N.P.C. de Lisboa, sob o nº 900/2012. Contribuinte nº 510431720. Alfredo Marceneiro é marca registada no INIP com o número 510495150. Todo o conteúdo está protegido por "copywrite ©", direitos conexos e afins, pelo que não poderá ser usado para fins que não sejam a sua divulgação e a devida autorização.
Busto de Alfredo Marceneiro por Dr. Francisco Faria Pais Busto de Alfredo Marceneiro por Dr. Francisco Faria Pais