26 de Dezembro de 2012

ALFREDO MARCENEIRO

“PATRIARCA DO FADO”


 

Raro será o português que não se tenha interrogado acerca do fascínio que o Fado exerce. Deve acontecer o mesmo com  muitos estrangeiros de diversas partes do mundo, de diferentes culturas, etnias e  credos,  ao  assistirem  à entrega sublime de um cantador, ao transmitir a sonoridade da voz, a  expressão facial, o gesticular, a melodia,  exaltada pelo   som da guitarra portuguesa e acompanhada à viola, provocando nostalgia, amor, ódio, ciúme, alegria, acelerando os corações, enquanto a alma desabrocha em sentimentos, que extravasam as barreiras linguísticas, irmanando as almas.

No universo da expressão musical, o Fado é um mundo dentro de cantigas onde cabem, a dor, a saudade, o entusiasmo, a fé, a esperança... O Fado é uma “tribo” com os seus ritos,  os seus segredos.


Alfredo Marceneiro – Patriarca do Fado.

Estes  é título: Será uma  afirmação  sacrílega?


Na “Catedral do Fado”, “a água benta” será uma lágrima que nos aflora  , na saudação de respeito, ao cruzar os umbrais de um ambiente de Fado, num ritual, num estado de alma... Que veneramos e respeitamos.

Se alguém entendeu todo este ritual foi Alfredo Duarte, o Marceneiro, por ofício. Se os prosélitos do Fado entenderem dedicar uma longa noite à sua devoção - O Fado genuíno - , que seja relembrando a suas composições geniais, que foram a sua grande dádiva ao Fado.  Alfredo Marceneiro nunca se apelidou, nem deixou que o considerassem, Rei do Fado, mas foi, sem sombra de dúvidas,  o seu mais louvado mestre.

Amália numa simples frase deu o mote:

Alfredo... tu és o Fado                     

Nós o veneramos....


Alfredo tu és/foste  o “ Patriarca do Fado"


publicado por Vítor Marceneiro às 18:18
: Fadista inesquecivel
CLIQUE NA FOTO PARA SE INSCREVER
Busto de Alfredo Marceneiro por Dr. Francisco Faria Pais Busto de Alfredo Marceneiro por Dr. Francisco Faria Pais